Meu tio tinha uma lanchonete lá em Almirante Tamandaré. Uma vez uma repórter falou que nunca tinha ido pra Almirante Tamandaré fazer pauta feliz, só tragédia. E a coxinha. Meu tio tinha uma lanchonete lá. Aí num dia de chuva teve uma briga, o corno entrou na lanchonete disposto a matar ou morrer. Atirou no primeiro que viu. O cara da coxinha. Cheguei lá o cara caído no chão da lanchonete. E a coxinha. A mão engordurada. E a coxinha mordida.

E o cara não tinha nem chegado na galinha.